Centro de Apoio

HELPDESK - SERVIÇOS SOCIAIS HELPDESK SOBRE FUNDOS COMUNITÁRIOS

Itália

Inquérito

Os recursos disponíveis para a Itália para o período de programação 2021-2027 estão descritos em Acordo de Parceria 2021-2027. Para este período de sete anos, a Itália dispõe de 74.067.329.380 euros entre o FEDER, FSE+ e JTF, aos quais devem ser adicionados 987.290.803 euros da FEAMPA, para um total de 75.054.620.183 euros (42.697.750.649 euros de contribuição da UE e 32.356.869.534 euros de contribuição nacional), a favor de 10 Programas Nacionais, 38 Programas Regionais e 4 Programas das Províncias Autónomas de Bolzano e Trento.

A estes juntam-se os recursos da Cooperação Territorial Europeia: A Itália participa em 19 programas Interreg, com um orçamento total de 1.248.000.000 euros. Este é o montante mais elevado de todos os períodos de programação anteriores.

Os recursos europeus e nacionais dos Fundos Estruturais 2021-2027 são distribuídos da seguinte forma:

  • Regiões mais desenvolvidas: 23,882 mil milhões de euros (Emilia-Romagna, Friuli-Venezia Giulia, Lazio, Liguria, Lombardia, Províncias Autónomas de Trento e Bolzano, Piemonte, Toscana, Valle d'Aosta e Veneto);
  • Regiões em transição: 3,612 mil milhões de euros; (Abruzzo, Marche e Umbria);
  • Regiões menos desenvolvidas: 46,575 mil milhões de euros. (Basilicata, Calábria, Campânia, Molise, Apúlia, Sardenha e Sicília).

Os principais fundos estruturais europeus que apoiam a política de coesão 2021-2027 são os seguintes:

  1. O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) que tem o objectivo de promover o crescimento económico e de emprego das regiões europeias e atenuar as disparidades e os desequilíbrios de desenvolvimento;
  2. O Fundo Social Europeu plus (FSE+), que apoia os Estados-Membros na consecução de níveis elevados e adequados de emprego e de protecção social justa e inclusiva;
  3. O Fundo Europeu Marítimo, das Pescas e da Aquicultura (EMFF)A Comissão Europeia, que promove a pesca e a aquicultura sustentáveis, a restauração e a conservação dos recursos biológicos aquáticos, a economia azul nas zonas costeiras, insulares e interiores, apoia o desenvolvimento das comunidades pesqueiras e aquícolas, assiste a governação internacional para mares e oceanos seguros, limpos e geridos de forma sustentável;
  4. O Fundo de Transição Justa (JTF)A Comissão Europeia, que apoia os territórios que enfrentam sérios desafios socioeconómicos decorrentes do processo de transição para a neutralidade climática e pretende permitir às regiões e às pessoas enfrentar os efeitos sociais, económicos e ambientais decorrentes desta transição.  
  5. O Fundo de Coesão (CF), reservado para países com um rendimento nacional bruto per capita inferior a 90% da média da UE, entre as quais a Itália não está incluída.

OBJECTIVOS RELEVANTES PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇOS SOCIAIS

A pandemia tem contribuído para agravar as condições de vários grupos já vulneráveis da população. Os desafios mais prementes, especialmente no Sul, são: a participação de jovens e mulheres no mercado de trabalho; a prevenção e luta contra o abandono escolar precoce; o aumento do nível do ensino superior; o reforço das competências, especialmente as digitais, ao longo da vida; a luta contra a pobreza e a exclusão social, especialmente de menores; a resiliência do sistema de saúde; a valorização da cultura e do turismo no desenvolvimento económico, para a inclusão e a inovação social.

As intervenções de particular interesse para os prestadores de serviços sociais são as abrangidas pelo OBJECTIVO 4 do Acordo, para UMA EUROPA MAIS SOCIAL E INCLUSIVA, que se centram nas seguintes prioridades:

  • Ocupação;
  • educação e formação;
  • Inclusão e protecção social;
  • cultura e turismo.

Os programas de referência para alcançar estes objectivos são:

  • PN Escola e competências;
  • Inclusão NP e pobreza;
  • PN Juventude, mulheres e trabalho;
  • Cultura NP;
  • PN Metro plus e cidades médias do Sul;
  • PN Equidade na saúde.

Fundos: FEDER, FSE+.

PROGRAMAS NACIONAIS

O Acordo de Parceria Italiano prevê o estabelecimento de 10 Programas Nacionais (PN), destinados à implementação das seguintes áreas:

  • Escola e competências;
  • Investigação, inovação e competitividade para a transição verde e digital;
  • Segurança para a legalidade;
  • Equidade na saúde;
  • Inclusão e luta contra a pobreza;
  • Os jovens, as mulheres e o trabalho;
  • Metro plus e cidades médias no Sul;
  • Cultura;
  • Capacidade de coesão;
  • Apenas Fundo de Transição.

25,575 mil milhões de euros estão reservados para Programas Nacionais entre o financiamento europeu e o co-financiamento nacional.

Uma parte maior dos recursos, no montante de 48,492 mil milhões de euros, irá, em vez disso, financiar os Programas Regionais, que serão promovidos por todas as Regiões e Províncias Autónomas.

Repartição dos fundos em relação aos planos nacionais e montante que lhes é atribuído

PNFundosÁrea de aplicaçãoTOTALS (milhões de euros)*
Escola e competênciasFEDER; FSE+Todo o território nacional3.781,0
Investigação, inovação e competitividade para a transição verde e digitalFEDERRegiões menos desenvolvidas5.636,0
Segurança para a legalidadeFEDERRegiões menos desenvolvidas235,3
Equidade na saúdeFEDER; FSE+Regiões menos desenvolvidas625,0
Inclusão e luta contra a pobrezaFEDER; FSE+Todo o território nacional4.079,9
Os jovens, as mulheres e o trabalhoFSE+Todo o território nacional5.088,7
Metro Plus e cidades de médio porte no SulFEDER; FSE+Cidades metropolitanas e cidades de médio porte do Sul3.002,5
CulturaFEDERRegiões menos desenvolvidas648,3
Capacidade de coesãoFEDER; FSE+Todo o território nacional1.267,4
Fundo Só de TransiçãoJTFTaranto e Sulcis Iglesiente1.211,3

* O quadro inclui tanto as contribuições da UE como as nacionais. A estas é acrescentado o PN FEAMPA

RECURSOS ATRIBUÍDOS ÀS REGIÕES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS PLANOS NACIONAIS

REGIÃO RECURSOS ATRIBUÍDOS  (milhões de euros, acções incluindo contribuições da UE e nacionais) REGIÃO RECURSOS ATRIBUÍDOS(milhões de euros, acções incluindo contribuições da UE e nacionais)
Abruzzo 1.087,6 P.A. de Bolzano 396,6
Basilicata 983,0 P.A. de Trent 340,7
Calábria 3.173,1 Piemonte 2.812,4
Campânia 6.973,1 Puglia 5.577,3
Emilia Romagna 2.048,4 Sardenha 2.325,1
Friuli-Venezia G. 738,6 Sicília 7.374,5
Lazio 3.419,8 Toscana 2.312,5
Ligúria 1.087,5 Úmbria 813,4
Lombardia 3.507,4 Vale de Aosta 174,0
Mercado 881,8 Veneto 2.062,6
Molise 402,5 TOTAL 48.491,9

CONCENTRAÇÕES TEMÁTICAS

A fim de contribuir para a realização dos principais objectivos da estratégia da União, os Estados-Membros são chamados a concentrar o apoio financeiro "nas intervenções que apresentem o maior valor acrescentado" para a realização desta estratégia.

Concentração temática FEDER/CF: A Itália decide respeitar a concentração temática a nível das categorias regionais

ESF+ concentração temática: A ESF+ presta especial atenção à inclusão social e aos jovens (concentração temática de 30% e 15%, respectivamente, de acordo com o quadro abaixo).

O Estado-Membro cumpre os requisitos de concentração temática   Percentagem Programas FSE+ previstos
Inclusão social 30,00%  NP Equidade na saúde FEDER-ESF+, NP Inclusão e luta contra a pobreza FEDER-ESF+, PR Abruzzo FSE+, PR Campania FSE+, PR Emilia-Romagna FSE+, PR Friuli-Venezia Giulia, FSE+, PR Lazio, ESF+, PR Liguria ESF+, PR Lombardia FSE+, PR Marche FSE+, PR PA Bolzano FSE+, PR PA Trento FSE+, PR Piemonte FSE+, PR Sardenha FSE+, PR Sicília FSE+, PR Toscana FSE+
Apoio aos pobres 3,00% PN Inclusão e luta contra a pobreza FEDER-ESF+
Apoio ao emprego dos jovens  15,00% NP Juventude, mulheres e trabalho FSE+, PR Abruzzo FSE+, PR Campania FSE+, PR Emilia Romagna FSE+, PR Friuli Venezia Giulia FSE+, PR Lazio FSE+, PR Liguria FSE+, PR Lombardia FSE+, PR Marche FSE+, PR Piemonte FSE+, PR Sardenha FSE+, PR Sicília FSE+, PR Toscana FSE+, PR Umbria FSE+, PR Valle d'Aosta FSE+, PR Veneto FSE+, PR Molise FEDER-ESF+, PR Puglia FEDER-FSE+, PR Calábria FEDER-ESF+, PR Basilicata FEDER-ESF+
Apoio à luta contra a pobreza infantil 5,00% NP Escola e competências FEDER-ESF+, NP Inclusão e luta contra a pobreza FEDER-ESF+
Reforço das capacidades das partes sociais e ONG 0,25% NP Escola e competências FEDER-ESF+, NP Equidade em saúde FEDER-ESF+, PN Iclusão e luta contra a pobreza FEDERSE+, NP Juventude, mulheres e FSE+ trabalho PR Abruzzo FSE+, PR Campania FSE+, PR Emilia Romagna FSE+, PR Frili Venezia Giulia FSE+, PR Lazio FSE+, PR Ligúria FSE+, PR Lombardia FSE+, PR Marche FSE+, PR PA Bolzano FSE+, PR PA Trento FSE+, PR Piemonte FSE+, PR Sardenha FSE+, PR Sicília FSE+, PR Toscana FSE+, PR Umbria FSE+, PR Valle d'Aosta ESF+, PR Veneto FSE+, PR Molise ESFSE+, PR Puglia FEDER-ESF+, PR Calábria FEDER-ESF+, PR Basilicata FEDER-FSE+, PN Metro plus e cidades de médio porte no Sul FEDER-ESF+, NP Capacidade para coesão TA FEDER-ESF+
 

COORDENAÇÃO DOS NÍVEIS DE GOVERNAÇÃO

A nível nacional, a sede da coordenação estratégica da política de coesão permanece confirmada em Comité com funções de monitorização e acompanhamento da implementação de programas (Comité AP), já estabelecido em 2014-2020. O Comité AP é presidido pelo Departamento para as Políticas de Coesão (criado no âmbito da Presidência do Conselho de Ministros), como Autoridade Nacional de Coordenação dos Fundos da Política de Coesão, pela Agência para a Coesão Territorial (ACT), e pela Agência Nacional para as Políticas Activas do Trabalho (ANPAL).

O Comité é composto pelas Autoridades de Gestão do Programa, as Administrações Centrais responsáveis pelos princípios horizontais, as Autoridades Nacionais responsáveis pela satisfação das condições de habilitação, as Autoridades Nacionais de Coordenação do Objectivo ETC, bem como a coordenação inter-regional ETC, a Parceria Institucional (incluindo UPI, ANCI e UNCEM) e económico-social e por organizações representativas da sociedade civil, com base em critérios que assegurem total coerência com o Código Europeu de Conduta para parcerias. As DGs competentes da Comissão Europeia são convidadas para as reuniões do Comité.

O Comité de AP tem as suas próprias articulações territoriais e temáticas, em relação às especificidades das áreas e temas sectoriais e horizontais a abordar. Está dividido em subcomités (Subcomités para o Sul de Itália, Monitorização e Controlo e Direitos Sociais). Estes últimos, pertencentes aos domínios políticos do FSE Plus, garantirão uma acção de acompanhamento específica para a coordenação das acções dos Programas Nacionais e Regionais e fornecerá pelo menos uma vez por ano informações sobre a demarcação e complementaridade do FSE Plus com outros fundos da AP ou com outros Fundos (tais como o FAMI, EAFRD, PNRR).

A fim de garantir mecanismos eficazes de coordenação entre a política de coesão e o PNRR e de sistematizar, numa visão orgânica e unitária, as acções da política de coesão com as acções apoiadas através do Dispositivo de Recuperação e Resiliência, o estabelecimento no seio do Comité de uma mesa técnica dedicada, que se reunirá pelo menos duas vezes por ano.

Na programação 2021-2027, a legislação europeia confirma o reforço do princípio da parceria já implementado na programação 2014-2020, para uma implementação eficaz e eficiente dos fundos. Para tal, é essencial promover a máxima inclusão, ao longo de todo o ciclo de programação, das associações e representantes de sujeitos potencialmente influenciados pela utilização dos fundos da política de coesão ou que sejam portadores de conhecimentos e instâncias de apoio aos processos de tomada de decisão que dizem respeito à utilização destes fundos, a fim de garantir uma participação informada e uma discussão contínua com vista a melhorar a preparação e a implementação do Acordo e dos Programas.

NOTÍCIAS E ASPECTOS PARTICULARMENTE RELEVANTES PARA O SECTOR SOCIAL

A novidade que afecta todos os sectores, e não apenas o social, é a simplificação dos objectivos temáticos (os 11 objectivos da programação 2014-2020 tornaram-se 5 grandes objectivos estratégicos na programação 2021-27): é uma novidade que permite aos Estados serem mais flexíveis na transferência de recursos dentro da sua própria acção e serem mais eficientes na sua utilização.

O FSE+ é o principal instrumento financeiro para a implementação do pilar europeu dos direitos sociais, e, esta é a novidade, inclui vários programas da programação 2014-2020, especificamente o Fundo Social Europeu (FSE), a Iniciativa para o Emprego dos Jovens (YEI), o Fundo Europeu de Ajuda aos Mais Deprimidos (FEAD), o Programa Emprego e Inovação Social (EaSI) e o Programa de Saúde da UE.

O FSE+ presta especial atenção à inclusão social e aos jovens (concentração temática de 30% e 15%, respectivamente).

INICIATIVAS PARA FACILITAR O ACESSO AOS FUNDOS DA UE

Easy Europe →A EUROPA FACILITADA

Fases → FASI.biz 

Centro de Serviços e Voluntários → Infobandi CSVnet: concursos e oportunidades de financiamento para o voluntariado e o terceiro sector

REFERÊNCIAS

  • Acordo de parceria -Acordos de parceria sobre fundos da UE 2021-2027 | Comissão Europeia (europa.eu)
  • Ministro para o Sul e a Coesão Territorial: www.ministroperilsud.gov.it dentro deste site é possível detectar a estratégia
  • Agência de Coesão Territorial: Agência de Coesão Territorial: inclui uma secção de notícias dos Programas e uma dedicada aos Programas operacionais geridos pela agência (PON Governação e capacidade institucional, PON Cidades Metropolitanas). A secção de documentação inclui os documentos mais relevantes da política de coesão.
  • Centro de Serviços e Voluntários: Infobandi CSVnet: concursos e oportunidades de financiamento para o voluntariado e o terceiro sector
  • Ministério do Trabalho e das Políticas Sociais: A Europa e os fundos europeus  contém uma secção dedicada à Europa e aos fundos europeus
  • Portal de coesão aberta: OpenCoesione para acompanhar o progresso dos projectos e das despesas, mas também todos os programas aprovados e as suas referências.

Apoio HELPDESK

Co-financiado pela União Europeia. As opiniões e opiniões expressas são, no entanto, apenas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente as da União Europeia. Nem a União Europeia nem a autoridade concedente podem ser responsabilizadas por elas.

Financiado pela União Europeia. As opiniões e opiniões expressas são, no entanto, apenas as do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente as da União Europeia. Nem a União Europeia nem a autoridade concedente podem ser responsabilizadas por elas.

Apoio HELPDESK

Financiado pela União Europeia. As opiniões e opiniões expressas são, no entanto, apenas as do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente as da União Europeia. Nem a União Europeia nem a autoridade concedente podem ser responsabilizadas por elas.